Tudo péssimo ou tudo ótimo?


Olhem eu aqui pensando na vida de novo, e me veio aquela velha vontade de compartilhar meus pensamentos com as pessoas, mas sabe como é nem sempre se tem tempo e disposição para tal. Então deixo aqui meus rabiscos:

Incrível como ainda me surpreendo, ainda hoje, com a necessidade constante que as pessoas têm de recriminar e julgar mal os outros por pequenos fatos sem nem ao menos conhecê-los e saber se esta é uma atitude intrínseca ou não. Vejamos: Você está conversando com seu grupo de amigos e resolve comentar sobre algo que conseguiu, ai começam a te olhar torto como se estivesse se gabando e passam à procurar defeitos e falar mal de alguma forma. Em certo ponto você nem sabe mais se o seu feito foi algo realmente digno de nota e resolve deixá-lo de lado porque até para você, ele se tornou insignificante. Fico teorizando o porquê dessa atitude defensiva/ofensiva em relação às vitorias alheias: talvez seja pela frustração da pessoa de não conseguir alcançar o que almeja e tenta tirar do outro esse sentimento de conquista.

É nessa hora que começamos a repassar mentalmente todas as vezes que isso ocorreu em nossas vidas e nem percebemos, pois é caro cidadão de bem isso já aconteceu com você e certamente já fizeste com outros. Mas o que eu venho criticar aqui não é a pessoa em si, mas a necessidade da sociedade em ser mais forte do que o individuo. Em contrapartida temos uma necessidade cada vez mais crescente de buscarmos reconhecimento, transformando isso em um ciclo vicioso. Faça qualquer coisa, e sempre vai ter alguém pra dizer que é ruim. É a famosa história do velho, do menino e do jumento: se o velho monta no jumento, é explorador porque a criança fica a pé, se a criança fica em cima do jumento, é desrespeitosa porque o velho está cansado, se os dois botam o jumento nas costas, são burros porque um deles poderia ir montado.

Vários assuntos surgem na minha mente e me lembro de outro estereótipo facilmente encontrado nos dias de hoje: aquela pessoa que elogia tudo. O texto que você fez pode estar uma porcaria mas ela está dizendo que foi a melhor coisa que leu na vida, a comida que preparou ta mais insossa que arroz de hipertenso, mas lógico para ela está uma maravilha. Dando uma de psicólogo, me atrevo dizer que isto é uma necessidade de aceitação em um grupo ou de uma pessoa em particular, e não sabendo como se portar prefere dizer que está tudo muito lindo, tudo muito legal.

Creio que todos nós temos um pouco desses esteriótipos e , dependendo da situação, pendemos para um lado,  mas normalmente sem extremos.

Escrito por Allan Miotto e contribuição de Marcos Cordeiro

Anúncios

Sobre ykizbr

Por que sempre perguntam isso? Ver todos os artigos de ykizbr

2 respostas para “Tudo péssimo ou tudo ótimo?

  • jeguemutante

    Nossa! Muito bom! A melhor coisa que já li na vida! uhullll! xDDD

    Brincando… Enquanto relia o texto comecei a pensar no quanto a supersinceridade pode ser nociva nos relacionamentos humanos, o que poderia explicar o comportamento “exaltado” – medo de não ser incluso no grupo.

    Quanto ao segundo estereótipo, velhice precoce e falta de sexo podem ser explicações plausíveis 😛

  • Ana Beatriz Santos (@bia_sorrisao)

    Se teus amigos te olham torto por uma conquista, talvez seja hora de repensar as amizades. 🙂

    Tenho trauma desse tipo de situação.

Compartilhe sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: